terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Chaves Z

Chaves Z é a produtora independente de Fernando Huega, uma mente inqueta que juntou alguns amigos (todos trabalhavam juntos em uma video locadora na época ) e em 2006 realizou sua primeira produção: Lozt (com Z), Umá sátira (homenagem) a um de seus seriados preferiodos.
4 episódios foram produzidos, mas depois de deixarem de trabalhar na videolocadora tiveram dificuldades de reunir a equipe e o projeto entrou em pausa.

Confiram aqui os episódios produzidos pela Chaves Z de Lozt - A história dos sobreviventes de um acidente de ônibus em uma ilha...








Conheça a comunidade no Orkut - Lozt


No final deste ano, Fernando retoma atividades com a equipe Chaves Z reformulada e lança um curta metragem intitulado Seriez com Z, que veremos em breve... aguarde...

Postado ao som de Ivan Parente - Isto não é uma declaração de amor

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Math Camp MASSACRE

Assista a este filme protagonizado pelos participantes do ZaranzaCast.


Try JibJab Sendables® eCards today!




Comente descrevendo quais são os personagens de cada participante e concorra a um convite ao Google Waves!!!!

domingo, 13 de dezembro de 2009

Memórias Afetivas

O artista Moisés Patricio estará apresentando seu acervo pessoal. Recomendo!

Postado ao som de Mutantes - Haih or Amortecedor

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Z!01#002

Está no ar o segundo episódio de ZaranzaCast!
Mulheres parte 2.
Como anunciado neste segundo episódio damos continuidade ao programa de abertura falando sobre mulheres. Mas não se preocupem meninas, é a parte final também e não se trata de uma resposta ao primeiro e sim uma continuidade do assunto. É que este episódio ficou tão grande que resolvemos publica-lo em duas partes, nada como um episódio especial tratando de um assunto tão especial para uma estréia.
Então como na parte 1, contiuamos demonstrando o que acontece quando 4 homens se reunem para falar sobre mulheres, e comprovando que homens quando se reúnem não falam de mulheres!!!!

Procuramos assim com bom humor e irreverência demonstrar o quanto misterioso é este universo (o feminino) e que no fundo no fundo... fazemos tudo por elas!!!!

Novos temas serão abordados, e quinzenalmente publicado aqui, mas se alguma garota quiser o direito de resposta nossos microfones estão abertos e quem sabe não façamos um "Mulheres" parte 3, mas com participação de garotas.

Mas até la, marquem em suas agendas, cadastre-se no iTunes, feeds... porque a cada 15 dias um novo assunto estará em pauta mantendo o lema Zaranza de ser, que é: "Mostrar o Novo, Questionar o Antigo e Transformar o Banal".

Para ouvir o ZaranzaCast! clique aqui:

Postado ao som de Clockwork Orange (soundtrack)

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Mulheres...

(Clique na imagem para ampliar)

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Z!01#001


Está no ar o primeiro episódio de ZaranzaCast!

E o tema central é MULHERES, afinal, fazemos tudo por elas.

Mas o que acontece quando homens se reunem para falar de mulheres? Aqui está o resultado:



Neste episódio você vai ouvir:


Estudo: Casais que fazem faxina juntos fazem mais sexo?

Menage a trois, topas ou não topas?

Submissão ou não submissão: Todo mundo quer ter razão.

Passado de mulher: Campo Minado!!!

Verdade e mentiras sobre as mulheres.

Filhos! (origem de nomes incluindo Zaranza)

Ressonância cognitiva (What???)

Mulher é caro!!!

A inveja feminina.

Cirurgias estéticas (mulheres perfeitas via photoshop que deixam até Michael Jackson tesudo!)


Considerações finais


Realizado por Marcelo Santos, Thales Darknight, Ikaros R e Zaranza (João Carlos)

Postado ao som ZaranzaCast #001



Links para download

Para baixar o PodCast em qualidade Alta (61mb), clique na fita K7 abaixo:




Para baixar o PodCast em qualidade Média (31mb), clique na fita K7 abaixo:

sábado, 14 de novembro de 2009

Quem nasceu primeiro, o ovo ou a galinha?

Estudos feitos pelo Research in Natural Events(Pesquisa de Eventos Naturais) indagaram-se vários cientistas, médicos e até filosofos sobre o assunto. Foram longos anos de pesquisa, testes e teses elaboradas sobre o assunto. O coordenador geral dos estudos, dr. Claudius Generskw , nascido na Polônia, e sua equipe trabalhou arduamente para descobrir quem foi que nasceu primeiro: O ovo ou a galinha.

Seu estudo foi baseado nas duas teses: Que a primeira galinha se originou dos répteis, portanto veio primeiro. Como também foi levada em conta a tese que diz que o ovo foi criado por Deus e daí, nasceu a primeira galinha (tese repudiada pela parte ateísta do grupo do estudo). Envolviam-se logo mais no trabalho, físicos, matemáticos e químicos no trabalho.

Galinha e galo são os nomes dados, respectivamente, à fêmea e macho da espécie Gallus gallus domesticus de aves galiformes e fasianídeas. Os juvenis são chamados de frango ou pinto. Estas aves possuem bico pequeno, crista carnuda e asas curtas e largas. A galinha têm uma enorme importância para o Homem pois é o animal doméstico mais difundido e abundante do planeta e uma das fontes de proteína mais baratas. Além de sua carne, as galinhas fornecem ovos

Do ponto de vista da biologia, ovo é o mesmo que zigoto, ou seja, um ovócito II fecundado por um espermatozóide, o primeiro produto da reprodução sexuada.

É o resultado da junção dos gametas feminino e masculino.

Mórula é o ovo com mais de 16 células e blastocisto é a mórula que sofreu cavitação e apresenta conteúdo líquido em seu interior.

O termo “ovo” pode ser empregado para designar o produto da concepção nas fases iniciais da gravidez e também para qualificar o conjunto do embrião ou feto e de seus anexos em qualquer fase evolutiva da gestação.

Depois de 3 anos finalmente chegaram à conclusão: Ovo não nasce





quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Zaranza PodCast


Muito bem... é isto mesmo....

Em breve o PodCast do Zaranza Zine

Mas o que é um podcast?

“Podcast é uma forma de publicação de programas de áudio pela Internet que permite aos utilizadores acompanhar a sua atualização. A palavra podcasting é uma junção de iPod – um aparelho que toca arquivos digitais em MP3 – e broadcasting, transmissão de rádio ou tevê. Assim, podcasts são arquivos de áudio que podem ser acessados pela Internet.”

Resumindo, é uma espécie de “programa de rádio” que você grava em seu MP3 player ou ouve no próprio computador.

Assim, todas as besteiras que falamos poderão ser registradas e divulgadas para que mais pessoas possam rir e criticar a vontade!

O piloto ja foi gravado para que possamos testar a tecnica da bagaça e estára disponível assim que finalizado.

Participam deste desafio, Ikarus Rapakulias, Thales Dalvino, Marcelo Santos (para saber mais sobre ele acesse seus blogs Fora da Caixa e Dominantes, divulgados na dica de blogs "Mais do Mesmo") Carlos Giga e este que vos escreve.

Acompanhe o Zaranza Web Zine e descubra mais este podcast, porque tem coisa que deve mais não pode e tem coisa que pode mais não deve! Mais nóis Pode!!!!!!


Postado ao som de Gaia Roots - Demos

domingo, 8 de novembro de 2009

Uma mensagem pra você


Pois é... retornar das férias logo após feriado de finados é muito sugestivo... da uma sensação de que realmente existe vida após férias...
Mas as férias acabaram... os feriados acabaram... o natal tá logo ai e nem conta... época em que todos estão ou melancolicos demais ou hipocritas demais com o um positivismo nojento naquela grande fé de que o próximo ano vai ser melhor ou sentimentalistas demais...
E as listas de promessas para o novo ano? Socorro...
Aqui entao um belo video para que todos possam refletir sobre seu futuro!




terça-feira, 13 de outubro de 2009

Cadê meus 30 minutos?

Eis o meu primeiro dia de férias...
Muito tempo pra não fazer nada e mesmo assim sentir o tempo passar correndo feito louco.
Pensando nisso vemos como as evoluções tecnológicas vieram para nos ajudar e ao mesmo tempo onde foi mesmo que levamos vantagem?
A meia hora que eu gastava em uma agência dos correios para postar minhas cartas hoje eu gasto deletando e-mails.
Hoje estava passando pelo centro de SP quando uma amiga que nao vejo a algum tempo me ligou. Que maravilha... um viva para os celulares!!! Nos acham em qualquer lugar. Ao fundo da conversa ouvia-se um cachorro latindo, estavamos tão proximos que eu podia ouvir o mesmo cachorro ao vivo. Mas nao passamos da conversa pelo telefone, a velha correria do dia a dia... o mesmo celular que nos possibilitou de encontrar não foi suficiente para nos fazer nos ver.
E neste mesmo centro de SP estava eu no caixa eletrônico pra sacar um dinheirinho... outra coisa que nao me entra na cabeça. Antes nos bancos, tinham funcionários para tudo, agora eu mesmo tenho que operar a máquina, preencher os campos, fazer os calculos... e além de tudo pagar por isso afinal eles ainda me controlam o tanto que eu posso fazer de saque ou pagamento... pode???
E para minha surpresa a abusada da maquina nega minha operação dizendo que eu não tinha saldo para aquela operação, mesmo eu sabendo que tinha. Sim, sabia porque o banco me envia diariamente meu saldo por mensagem de texto no celular. Acho isso uma maravilha, mas espero nunca receber esta mensagem no meio de um sequestro! Muito bem, mais uma vez o tempo que eu ganhei em me dirigir diretamente ao caixa eletronico estava perdido, ja que tinha que enfrentar a fila do caixa pessoal. Motivo disso, minha segurança. Muito bem... chegando em casa fui prepar meu almoço. Lembrando que neste mundo moderno preparar o almoço quer dizer programar o microondas em 15 minutos na potencia médio alta. Minha mãe ainda leva mais de uma hora para preparar a mesma lazanha! Ok, não é a mesma. E passei estes quinze minutos levado pela lembrança da minha maezinha preparando lazanha e em uma outra conversa que tive ontem mesmo com uns amigos que diziam que fervem o leite. Mas o leite não é envazado já fervido??? Eles garantem que não é a mesma coisa. Quanto tempo leva para ferver um leite? 10, 15 minutos??? Pra beber um copo quente eu gasto 15 seg... o que eu faço com os outros 14 minutos que eu economizei?? e os 45 da lazanha? As possíveis 1 hora e meia de um almoço que não aconteceu por falta de tempo da minha amiga, deduzido os 30 minutos que não pude economizar no banco... trocando em miudos, cade meu tempo extra daquilo tudo que economizamos graças as vantagens tecnologicas da vida????
Sem falar em um outro amigo que esteve aqui neste final de semana. Ele mora no interior, a 4 horas de rodovia ou 40 minutos de avião. 40 minutos de avião??? Vejamos, eu moro a 15 minutos da rodoviária, e ele tambem da cidade dele. Levando em consideração que onibus é só chegar na hora da saida e vamo embora... 4h e meia... agora os 40 minutos de avião... bem... moro a 30 minutos da rodoviara, ele levaria quase mais tempo pra chegar no aeroporto do que o próprio tempo de voo, o voo não vai pra cidade dele, e sim uma cidade visinha, isto é, mais uma meia hora no mínimo, e ainda ele queria chegar quase uma hora antes no aeroporto pra fazer o check in... ai vemos que os 40 minutos de avião contra as 4 horas de estrada não é bem verdade... Neste fim de semana teve estreia de filme no cinema, Bastardos Inglorious... Brad Pitt, Tarantinno... isso quer dizer, filas quilométricas. Moro proximo a um dos cinemas que estava em cartaz, mas levando em consideração que estavamos no meio de um feriado prolongado (isso foi no Domingo) imaginei que seria mais fácil. Ilusão, não tinha mais ingressos. Fomos a outro cimema e tambem nao foi possivel... plano B, comprar os ingressos para o dia seguinte. Ja que estavamos ali, vamos ao menos garantir o ingresso. Feito isso no dia seguinte partimos novamente ao cinema, desta vez, calculando que não precisariamos mais perder tempo na fila da bilheteria... para a surpresa, não tinha fila, nem para a bilheteria, nem para a entrada. Ta certo, era 14h de uma segunda de feriado, mas era um shopping, e o que estava fazendo entao todo aquele povo na noite de domingo deste mesmo feriadão????? Final das contas, não economizamos tempo nenhum em comprar ingressos antes, pelo contrario, a fila do domingo estava maior. E assim agente vai levando a vida... o tempo ganho aqui, é gasto ali... e agente nem vê, nem se da conta, mas estaremos sempre achando alguma forma de economizar tempo, principalmente numa cidade caótica como São Paulo... E eu ainda me pergunto, cade meus 30 minutos!!!!

Postado ao som de Eddie Vedder - In to the Wild

sábado, 3 de outubro de 2009

The Anticrist (Lars Von Trier)


Um dos primeiros signatários do manifesto denominado “Dogma 95” surgido em Copenhague em 1995, foi Lars Von Trier. O manifesto procurava contrariar algumas tendências do “cinema comercial” e recuperar um cinema que consideravam estar morto. O Dogma 95 opunha-se ao conceito de autor, de cinema individual e efeitos especiais. Segundo tal manifesto “A tarefa ‘suprema’ dos realizadores decadentes é enganar a audiência. É disso que estão tão orgulhosos? Foi isso que ‘100 anos’ nos deram? Ilusões a partir das quais as emoções podem ser comunicadas? (...) Uma ilusão da dor e uma ilusão do amor”.

Pois bem... com este pensamento Lars criou obras primas no cinema, entre elas Dogville de 2003, com uma linguagem própria abstendo de cenários e instigando o público a pensar, principalmente enebriado com o ponto de vista pessimista de Lars sobre a humanidade.

Dogville faz parte de uma trilogia intitulada USA - Land of Opportunities. O segundo filme é Manderlay (2005) e o terceiro Washington

Trier é fanatico por trilogias, sua primeira, Europa Trology é formada por The Element of Crime (1984), Epidemic (1988) e Europa (1991).

Ainda nas trilogias temos The Golden Heart contendo Breaking the waves (1996), The Idiots (1998) e Dancer in the Dark (2000, sim aquele da Björk!).

Mas voltando ao Anticristo...
Primeiro - Não se trata de um filme te terror.

Pelo menos não ao terror a que estamos acostumados sugerido pelo título.

O filme não conta a história de alguma criança cujo nascimento terá que ser evitado para proteger a humanidade, pelo contrário, o filme se inicia com a morte de uma criança.

Com a morte do seu único filho, casal passa pelo drama desta perda e o filme se desencadeia nas etapas de uma depressão, passando pelo luto, angustia, dor... questionando que tipo de mundo nós vivemos e como é construida nossa personalidade.

Nascemos bons e a sociedade nos corrompe ou pelo contrário, nascemos maus e a sociedade nos dita uma regra de convívio que nos tira dos nossos instintos?

E se o mundo na verdade não é uma obra de Deus e nós sim somos cada um, um anticristo?

Vou me abster de criticar este filme, se seu primeiro contato com Lars for The Anticrist, conheça sua obra... vá ao cinema, locadora ou baixe mesmo pela internet, mas não os assista sozinho, pois o melhor da obra de Lars é o papo filosófico com os amigos.

O Fantástico Reparador de Feridas

Conheci o Domingos através da Diva, na estréia da peça Idiota no país dos absurdos, e não tive dúvidas em conferir mais este espetáculo que está em cartaz no Centro Cultural São Paulo até 1° de Novembro.

Três personagens, quatro monólogos e a história de uma trupe bastante incomum que viaja por cidadezinhas do interior, apresentando um número que se situa entre uma representação teatral e um culto religioso de cunho sobrenatural. Esse é o ponto de partida para as situações que acontecem na peça O Fantástico Reparador de Feridas, do irlandês Brian Friel, dirigida e traduzida por Domingos Nunez, tendo como protagonistas Walter Breda (comemorando 50 anos de carreira), Mariana Muniz e Rubens Caribé. A produção é da Cia. Ludens, grupo teatral que se dedica à montagem de textos de dramaturgos da Irlanda.

Os três personagens de O Fantástico Reparador de Feridas são Frank, Grace e Teddy. Frank (Walter Breda) é um homem que vive atormentado por possuir um dom sobre o qual não tem nenhum controle e tenta aplacar seus questionamentos com doses colossais de uísque. Sua mulher, Grace (Mariana Muniz), advogada e filha de um juiz aristocrata, acusa, defende, busca evidências e comprovações para justificar seu estado mental. Teddy (Rubens Caribé), empresário de artistas exóticos e decadentes, transita entre a frieza profissional, a admiração por Frank e uma possível paixão por Grace. Juntos, os três tentam sobreviver cobrando ingressos de inválidos em apresentações das quais podem sair curados. De vilarejo em vilarejo vão vivendo suas histórias e cada um tem sua própria versão dos fatos. Talvez o elemento de ligação que permeie a produção dramatúrgica de Friel seja o seu esforço em discutir através do teatro as diversas formas de representação da linguagem e suas convenções. Em O Fantástico Reparador de Feridas Friel constrói sua narrativa totalmente calcada nas possibilidades da metalinguagem. O rigor da carpintaria teatral, a ousadia do dramaturgo com este experimento, a temática abordada e a proposta estética sugerida pelo próprio texto são elementos que fazem desta peça um dos momentos mais criativos dentro da trajetória artística do escritor. Com o texto construído sobre a estrutura de quatro monólogos, Friel se propõe questionar a linguagem articulada como instrumento seguro para um testemunho que ateste com precisão a veracidade dos fatos. A memória, os sentimentos e interesses escusos são poderosos agentes que atuam sobre a linguagem no sentido de distorcê-la, amenizá-la, ridicularizá-la. Assim, cada uma das personagens da peça narra diretamente para a platéia, de acordo com suas próprias conveniências, alguns fatos que vivenciaram juntas durante uma época. Ao contar suas experiências, as personagens têm o intuito de convencer os espectadores e a si próprias de que aquele ponto de vista é o que mais se aproxima do que realmente aconteceu. Aos poucos, tece-se uma cadeia de informações que se complementam e se opõem e que, necessariamente, pela própria natureza da linguagem articulada, levarão os espectadores a tirar suas próprias conclusões. Extremamente atual, este texto coloca a questão da manipulação da linguagem como um dos pilares para uma possível representação do mundo contemporâneo. Em última análise, tudo depende do ponto de vista do observador que, de um modo ou de outro, relativiza os discursos a que está exposto e os reorganiza de acordo com suas próprias necessidades, sentimentos e limitações. A natureza religiosa do número que apresentam aproxima o texto do Brasil, em cujo território proliferam-se igrejas, templos e curandeiros que prometem tipos variados de curas e arrastam multidões de necessitados. Seus cultos se transformam em uma mistura de busca por um sentimento de fé genuína, com demonstrações que facilmente fariam parte de um “freak show” e exibições de cenas dignas de um filme de horror.



Postado ao Som de Elomar Figueira Mello

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Dia internacional dos PERTURBADOS



Por favor mande uma mensagem de encorajamento para um amigo perturbado...

assim como eu fiz.

Eu não me importo se você lamber janelas,

jogar pedra em avião,

ou querer bater prego com a testa,

mas lembre-se, todos os sessenta segundos que você gasta irritado,

perturbado ou louco,

é um minuto de felicidade que nunca mais vai voltar!!!

A mensagem de hoje é:

A vida é curta,

quebre as regras,

perdoe rapidamente,

beije demoradamente,

ame verdadeiramente,

ria

incontrolavelmente,

e nunca deixe de sorrir,

por mais estranho que seja o motivo.

A vida não pode ser a festa que esperávamos,

mas enquanto estamos aqui,

deveríamos dançar....

Parabenize todos os amigos perturbados que você tem,

eles vão gostar de ser lembrados...


Postado ao som de Sigür Rós - Von

sábado, 12 de setembro de 2009

Beirut - Via Funchal



No final do show do Radiohead, em março deste ano, bateu aquele sentimento de ... e agora?

E agora? Agora foi a vez do Beirut... e mais uma vez meu inseparável amigo de shows Márcio, que saiu da pacata cidade de Catanduva-SP e me convenceu a curitir mais esta apresentação musical...

Beirut é daquelas coisas que aparecem do nada e cativam, no ano passado ele me mostrou o album The Flying Club Cup com seu som diferente, mistura de instrumentos de sopro, acordeon e ukelele (um tipo de cavaquinho) num som que pode ser identificado com influencias balcanica.

Eis que então neste dia 11 de setembro, estivemos no Via Funchal para conferir isso tudo ao vivo.

A casa errou em formatar a pista com mesas! Sim, me senti dentro de um navio ou num baile de formatura.

Como há de imaginar, o publico desta banda é uma mistura de geeks, fron UKs, nerds e casais apaixonados. Publico comportado e cheirosinhos não teve tumulto, não teve bagunça...

A abertura foi da banda carioca Manaka, misturando seu cordel com rock cumpriu o papel pop do oportunismo... faltou algo naquela banda para ser honesto... um algo que não sei.... mas estava melhor do que a música ambiente da casa enquanto o público se acomodava nas mesas...

Mas quando Zach entra no palco com sua banda algo acontece, soltando um boa noite e dando inicio ao show com a música Nantes, já na segunda música o pessoal ignorou as mesas levantando e dançando... comprovando que os organizadores nao tinham a menor ideia do que fizeram ao colocar aquelas malditas mesas na pista.

A banda é simpatica, competente e foi um show de primeira. Tentaram se comunicar com a platéria e até arriscaram tocar Aquarela do Brasil no melhor estilo gringo que nos agrada só pelo fato da homenagem.

Valeu Márico, por mais este momento... e até o próximo, quem sabe Sonic Youth?!?



Abertura com Nantes

video
11/09 - Beirut - São Paulo set list
Nantes
The Shrew
Cozak
Elephant Gun
Scenic World
My Wife
Postcards from Italy
The Akara
La Javanaise
Mount Wroclai
Cherbourg
A Sunday Smile
Aquarela do Brasil
Siki Siki Baba
My Night With The Prostitute From Marseille
Gulag Orkestar
Postado ao som de Beirut The Flying Club Cup

sábado, 5 de setembro de 2009

Rimas e mais Rimas

Aproveitando deste clima de romance e poesia, navegando pela internet encontrei o seguinte video: (Não esqueça de pausar o iPod)


Acho que ele resume bem o que há de melhor em nós, o escracho!
Rir de nós mesmos, rir do outro que há em nós.
Rir de ver as peças que a vida nos prega, em momentos que nos remetem a chorar.
Chorar de rir
Amor e ódio
Tudo na vida que é importante, é paradoxal.
E pode ser rimado.
para mostrar o apaixonado
Ou mesmo o engraçado.

Postado ao som de CONCERT HOMENATGE A ROGÉRIO DUPRAT

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

um dia com você

Tenho seu beijo colado nos lábios...
seu gosto impregna minha língua...
sua saliva está em minha boca...
e meu sentido descansa em seu hálito.

Tenho nas mãos o toque das suas...
no coração o pulsar dos seus gemidos...
no meu abraço a presença dos seus seios...
no seu desejo o razão de estar vivo.

Postado por Fran Bocchini para Silvia

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

A Poesia Prevalece

Das mais variadas formas de expressão a poesia está presente em todos os lugares, a harmonia, a construção a revelação e a contestação... Dizer de forma "enfeitada" aquilo que pensamos, acreditamos ou apenas provocamos. E com nosso ar de deboche e nossas aspirações artísticas questionáveis Fran, Tekka e eu aproveitamos este final de domingo na Pça Roosevelt no Pandora que promoveu o III Encontro de Utopias, um sarau.

Apreciamos Poesia de Cordel, Músicas e tudo mais que aqueles tipos estranhos que frequentam aquela área poderiam oferecer.

Fran pode mostrar ao público presente o famoso poema "Cadê Dada" inaugurando a rodada daquela noite. Minha participação foi com a poesia escrita pela Tekka:

Olhar

Se pudesse dizer que te amo...
Não seria com palavras
Mas com o expressar dos gestos...
Pois para expressar algo divino não tem como o olhar...
Que divide com o explendor que exala da alma
Seu olhar em minha face.
(Tekka Carvalho)
Tekka também timidamente entrou na onda, arrancando aplausos do público que em uníssono aclamou por sua presença... Mas o ponto forte foi a poesia erotica do Fran que foi até um orelhão e retirou alguns anuncios de garotas de programa já tão comum nos telefones públicos paulistano e recitou. Pregou os anúncios no pedestal do microfone que curiosamente alguns sumiram depois.

A expressão tem sua liberdade e o momento irônico foi um indivíduo alcoolizado pseudo socialista discursando sobre a noite paulistana exaltando a revitalização da Pça Roosevelt e metendo o pau na Vila Madalena, detalhe, a Tekka mora na Vila Madalena, bairro conhecido pelo movimento cultural contemporâneo. Momento infeliz...

Mas entre mortos e feridos, tudo foi um grande barato. O ser humano tem uma capacidade incrível de se comunicar, todos os tipos, cores e tamanhos.

Se contiuarem a tradição esta farra poderá ser conferida em cada ultimo domingo do mês, no Pandora a partir das 17h.

Mais um momento especial...


A flower can be more beautiful ... the meaning of beauty ... is not in your beautiful image ... but the more it is the when you look at it ... and just the look I can give I love this person ... the interior in my true love ... that you feel when this alone ... the desire to be with him ... asking for the hours that are the fastest to be together ... to him ... and dreams and do not want to agree

(Tekka Carvalho)


Postado ao som de O Teatro Mágico - Entrada para Raros

domingo, 16 de agosto de 2009

Babel

Há quinze dias recebi a seguinte mensagem por SMS pela manhã: "Você bem que poderia adotar um cachorro, né?"
Era minha amiga Sue que indo ao trabalho cruzou com um cachorro que insistiu em segui-la.
A princípio achei a história um tanto absurda, como poderia eu adotar um cachorro? Morando sozinho em um apartamento pequeno no centro, não parecia o melhor lugar e nem a melhor pessoa para acolher um cachorro, mas depois de falar com ela alguns pensamentos me vieram a cabeça... entre eles, primeiro, a idéia de adotar um cachorro, me fez pensar em no quanto perderia minha liberdade. Não poderia me ausentar muito de casa por ter algo dependendo de mim para comer, higiene... então repensando, achei que seria egoismo deixar de adotar um animal por este motivo, e pelo contrário, pensando assim, isso sim me revelaria um tremendo iresponsável, afinal, não teria tantos motivos para me ausentar tanto de casa, e em caso de necessidade, dá-se um jeito! Resolvi adota-lo, ela o levou para um petshop para um bom banho, passou por consulta médica e a Sue pode trabalhar tranquila... no final do dia, quando fui busca-lo no petshop me deparei com isso:
De banho tomado, roupinha nova, penduricalhos e fitinhas, descobri que não era um cachorro e sim uma adorável cadelinha, de mais ou menos 5 anos. Seu nome, agora é Babel. Uma viralatas com minha cara!

Quinze dias se passaram, diferente de um filhote, ela tem outros hábitos, não fica comendo as coisas pela casa, não é brincalhona, mas é muito querida. carente, faz festa quando chego e enquanto estou em casa está ao meu lado. Sempre pedindo carinho.

Outra caracteristica intrigante é que ela nao faz suas necessidades fisiológicas em casa. Talvez o costume da rua contribuiu em faze-la uma cachorra muito higiênica, devido sua preferência em fazer suas "sujeiras" na terra. Na verdade esta acabou sendo minha única mudança de rotina, leva-la para passear todo dia.

Estes passeios me fizeram ter outro pensamento egoista. Eu ja tinha admitido a idéia de te-la em casa, mas como seria para Babel, estar "presa" em um apartamento, um bichinho que tinha tanta liberdade, passar tardes sozinha... confesso que até tive medo de leva-la pra rua e ela não querer voltar. Ledo engano.

É um prazer confortante quando voltamos dos passeios, solta-la da correia e ela correr em direção a porta do apartamento aguardando anciosa para que eu abra a porta, e entra fazendo festa. Não late, não uiva e não demonstra interesse em querer fugir.

Uma lição aprendida. Egoista era eu em ter dado tanto valor a uma falsa liberdade. Algumas pessoas riram desta situação e me disseram - "Você pensou mesmo que ela ia querer trocar comida e casa pra viver na rua de novo?!?"

Mas nâo foi a minha liberdade a primeira preocupação?

Cachorro não é gente, e a gente é racional, mas mesmo assim esta experiencia foi uma puta lição.

Vai saber o que a Babel já passou nesta sua vida, era livre sim, mas a que custo, a que prazer, e o que me conforta é que o que já viveu vale como experiência, e hoje, "adulta" o que realmente precisa é de um lar com carinho, comida e conforto. Assim como nós, temos sempre que ceder algo para ganhar. Não se pode ter tudo na vida, e não podemos contar com a sorte do futuro.

E não há recompensa maior do que compartilhar de sua alegria e receber carinho em troca.

Por onde passou, Babel fez sucesso não por sua história, mas pelo que representa.

Sue, obrigado pela lembrança em confiar este "presente" a mim. Pode ter certeza que estamos muito felizes!!!

Postado ao som de Belle and Sebastian - Dog on Wheels

domingo, 9 de agosto de 2009

FranFest

Vagner não conhecia Silvia, que não conhecia Bruno que não conhecia Patrícia, que não conhecia Giovana que não conhecia Fran que juntou todo mundo em uma reunião em sua casa.
Foi uma agradável festa de queijos e vinhos para celebrar novas amizades, integrar aquilo que virtualmente se faz tão presente mas a correria da vida paulistana nos mantém acomodados dentro de nossas telas.
Todos os presentes tinham amigos em comuns e desconhecidos em comuns, numa brincadeira de msn de juntar amigos em conversas em grupo surgiu a necessidade de nos encontrar pessoalmente e mostrar-mos os dentes, em forma de sorriso.
Muitos foram os convidados, e se você foi um deles e nao esteve presente, sinto muito, perdeu!
Um brinde inicial...


Bate papo regado de bom vinho
Calor humano

Som ao vivo


E a festa continuou na varanda...


Homeless party... a varanda foi dominada...


E foi até o raiar do dia...

Postado ao som de Norah Jones - Come away with me

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Selo "Vale a Pena Ficar de Olho Nesse Blog"



Como consta em comentário no post anterior, acabo de receber da Pensadora Compulsiva o selo "Vale a pena ficar de olho nesse blog!" .

Além de recomenadar este que já possui o selo, qualifico tabém:

Agora é só:

1) Postar o nome do blog que indicou o selo,

2) Indicar 10 blogs e avisá-los,

3) E verificar se os blogs indicados estão cumprindo as regras.

Valeu Pensadora!!!!!

Postado ao som de Jonny Cash - "American V: A Hundred Highways"

domingo, 2 de agosto de 2009

Quem espera ou senta ou cansa!


Acabo de receber o seguinte vídeo por e-mail:

video

Reparem que tanto no video quanto no banner não há ano datado...

Ou este e-mail que recebi está com dois anos de atraso ou ainda temos pessoas que não se cansaram mesmo... porque esta campanha foi lançada em julho de 2007 e a data e horário proposto é para o mesmo ano.

Se bem que um protesto pra fazer um minuto de silêncio não cansa...

O que é isso!?!

Infelizmente o ser politicamente correto, ativista, defensor da ecologia é fácil...

O site www.cansei.com.br informado no filme não existe mais, cansaram... o blog do cancei também foi desativado... e a exemplo dos inúteis e-mails de campanhas para arrecadar dinheiro para a menina L que necessita de uma cirurgia e a microsoft dá 5 centavos a cada e-mail repassado, ou o alerta sobre a seringa contaminada de AIDS no cinema, ou a menina paralitica que perdeu sua vida saudável por estar de carona com um amigo que dirigia embreagado este também está virando uma corrente que nao nos prende a nada!

Proteste fazendo silêncio, mostre o quanto você esta cansado de fazer nada.. fazendo nada... e veja o resultado que isso deu dois anos depois...

E até ano que vem, quando este mesmo filminho rodar pela internet de novo...

Postado ao som de Beirut - Elephant Gun

sábado, 1 de agosto de 2009

Personal Jesus - Johnny Cash

Música para sabado a noite...

quinta-feira, 30 de julho de 2009

O Estranho Mundo

O estranho mundo...
Era uma coversa de dois, que virou seis que chegou a doze e na verdade conversa é o que mesnos rolou... rsss

Pessoas rindo das besteiras dos outros e o melhor, de si próprios...

Isso foi o resultado de uma brincadeira que Fran e eu fizemos com o msn, criando um grupo de conversa e adicionando pessoas que estavam on line e nem imaginavam o que estava acontecendo.

Um perfeito sequestro.

Desta brincadeira surgiram amizades, se encontrando nos outros, entre elas a Camila, que atraves desta maluquice do msn cheguei ao seu blog http://oestranhomundo.wordpress.com/ e transcrevo um texo para o público Zaranza.
Mussum
Ele nasceu em uma família pobre, no dia 7 de abril de 1941, em um dos inúmeros morros do Rio de Janeiro, parecia que seu destino já estava pronto, um emprego humilde ou a marginalidade, como ainda acontece a tantos de sua classe e sua cor. Durante sua juventude, Antonio Carlos Bernardes Gomes escolheu a primeira opção, depois de estudar nove anos em um internato de sair de lá diplomado ajustador mecânico e posteriormente integrou a Força Aérea Brasileira- FAB, sempre apaixonado pelo samba, fez parte de vários conjuntos o que acabou levando-o à televisão e por fim,aos Trapalhões.Se agora as oportunidades para os negros na mídia são poucas, imagine há trinta anos atrás, agora faça um exercício ainda maior, e visualize um cara fazendo piada da sua condição racial e por tabela detonava com o racismo , e mais, tirando onda com o seu alcoolismo em um programa destinado à família brasileira, exibido todo domingo às sete da noite em ponto em tempos de regime militar.Muita coragem e cara de pau mesmo,por sorte ainda não havia esta babaquice de politcamente correto, ou já pensou o velho Mussum dizedo Afrodescendente é o seu passadis, as terminações em is e ebis foram sua marca registrada, hoje é possível ver pessoas muito novas ou nem nascidas nos anos setenta e começo dos oitenta, fazendo graça com elas, muitas mal sabem do seu criador.Infelizmente, foi o alcoolismo que tanto arrancou gargalhadas de crianças e adultos a causa da sua morte , precisava de um transplante de coração, mas não resistiu à cirurgia,em 29 de julho de 1994, decretando o fim dos Trapalhões, já abalados pela perda de Zacarias, quatro anos antes.
Por Camila
Recomendo...
Camila... um beijo e cuidado com os aqueles malucos!!!!!
Postado ao som de Somke City - Flying Away

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Onde diabos está Matt?

Matt largou seu emprego e resolveu viajar pela Ásia... em sua primeira viagem enquanto tirava umas fotos seu amigo pediu que ele subisse numa pedra e fizesse uma particular dança para um registro em vídeo. Este video foi pra internet e pessoas foram indicando a pessoas e chamou a atenção de muitas pessoas.

Conseguiu patrocinio para novas viagens, escreveu um livro de registros sobre os povos visitados e pensa que os americados devem viajar mais. Hoje Matt ja viajou o mundo com sua alegre dança.

Assista o vídeo e saiba mais sobre suas aventuras em http://www.wherethehellismatt.com/


Leve a vida mais leve... Aprenda com Matt...





Postado ao som de Tom Petty - Full Moon Fever